Tenho dó dos nossos constitucionalistas

Publicado no

Dão consulta sobre polêmicas. Governo nos dá temas tolos. Constituição dá a liberdade

Quando leio os jornais, não todos, nem sempre, pois, como alerta um amigo, são muitas vezes os últimos a nos darem as notícias, fico invariavelmente entristecido com os assuntos jurídicos para os quais é conclamada essa classe de especialistas.

Obrigar alguém a se vacinar é constitucional? E rejeitar a cura vinda da China comunista? E obrigar a população a usar máscara?

Qual será a próxima polêmica a que se dedicarão nossos experts? Tendo por norte a de se o uso de máscara, medida que evita mortes em massa, constrange ou não a liberdade individual, imagino que será descobrir se é constitucional ou não andar de cuecas, ou até mesmo sem elas, pelas ruas das cidades.

E os estudiosos de nossa Carta Constitucional, eu noto, esforçam-se, dedicam vênias aos entendimentos contrários, e buscam expressar uma opinião que possa ter os ares de a quem foi exigido grande esmero para o exame do tema.

Obviamente que não culpo meus colegas pelas consultas que lhes fazem os jornais, tampouco culpo os jornais por tal carga que nos destinam. Os temas são os que temos, são o que somos, ou o que nos tornamos. E estão todos a fazer seu papel.

Das tolices só são culpados os tolos, e nesse posto têm lugar cativo nossas autoridades governantes, e, ainda assim, trata-se de uma culpa moral, pois nossa Constituição, que preza pelas Liberdades das quais sou defensor ardente, prevê também a inequívoca liberdade de se poder ser tolo. E pouco importa se esse direito é exercido pelo bobo da corte ou pelo titular do cetro. O direito de ser tolo não distingue seus beneficiários.

Desse modo, em verdade, me solidarizo com nossos constitucionalistas, tendo de andar afiados para os acontecimentos que mobilizam nossa imobilizada República, de modo a esclarecer o cidadão se ele, afinal, pode ou não vestir em paz as suas ceroulas.

Mas será que não haverá um cansaço no lidar com esses temas? Ou, Lamarck tendo sua razão, não terminará o arsenal de bobagens com que o debate público vem se alimentando nos últimos tempos atrofiando o raciocínio de nossos pensadores?

Quando a gentileza do tempo cessar as tolices promovidas por nossos governantes, e os experts de nossa Carta Magna tiverem a desbaratar missão de maior fôlego, pleito de maior robustez, receio que possam estar esquecidos do pensar constitucional mais profundo.

Temo ainda que os governantes, nos vendo a discutir miudezas, possam gestar contra nós alguma coisa grande e perigosa, que nos encontrará ocupados. Será essa uma estratégia maliciosa deles? Nesse caso, os tolos seríamos nós.

Meu bom e velho pai, advogado e defensor emérito das liberdades constitucionais, experiente há muito mais anos do que boa parte de nós, Dr. Lourival Santos, sempre me alertou: por trás de uma grande tolice, muitas vezes, há apenas uma grande tolice.

Tomara. Será menos pior.

Artigo publicado no Poder 360.

Compartilhar

Copiar link

Copiar